Tipos de madeiras usadas em pisos

Acácia

Madeira densa,de fibras curtas, homogênea, sem dificuldades de serragem, polimento, colagem, pregagem, podendo ser tratada para o aumento de durabilidade quando em contato com o solo.

Cedro Australiano

Madeira leve a moderadamente densa – 0,33 a 0,60 g/cm-³. Apresenta coloração avermelhada brilhante, é fácil de trabalhar e apresenta moderada resistência a cupins com durabilidade mediana. Seu peso específico varia entre 0,46 a 0,64 g/cm³. Utilidade Madeira serrada e roliça: contraplacas e móveis.

Cedro Rosado

Madeira moderadamente densa- 0,55 a 0,70 g/cm-³.

Cumaru

Cumaru é difícil de ser trabalhada, mas recebe excelente acabamento no torneamento. Acabamento ruim nos trabalhos de plaina e lixa, é difícil de ser perfurada. Devido à natureza oleosa, a madeira apresenta dificuldade em ser colada. Aceita polimento, pintura, verniz e lustre.

Freijó

Frei Jorge. É constantemente confundida com a madeira de Corida frichotoma (encontrada no litoral entre Bahia e Santa Catarina), que é conhecida como Louro-pardo, Louro-amarelo, Louro-da-serra, Freijó-branco, Freijó-preto, Freijó-rajado, Freijó-verdadeiro e, Cordia preta.

O louro-pardo é uma árvore de folhas caducas, que pode alcançar até 35 m de altura, com tronco reto e cilíndrico, dando fustes de 10 a 20 m de altura. Suas flores são pequenas, brancas, perfumadas, com floração vistosa, observada de janeiro a julho.

Guanandi

A madeira de guanandi possui massa específica aparente entre 0,62 e 0,79g/cm³, a 15% de umidade e densidade básica entre 0,49 a 0,51 g/cm³.

Trata-se, portanto, de uma madeira moderadamente densa (Jankowsky et al.,1990).

O alburno possui coloração bege-rosado. O cerne pode é bege-rosado a róseo-acastanhado. De modo geral, esta madeira apresenta superfície lustrosa e áspera, textura fina e grã geralmente irregular(Carvalho, 1994).

A durabilidade natural dessa madeira é moderada a alta para as podridões branca e marrom, considerada imputrescível dentro da água.

Apresenta baixa permeabilidade aos tratamentos preservativos em função de possuir os poros parcialmente preenchidos por óleo-resina (Benitez Ramos & Montesinos Lagos, 1988).

Jatobá

A madeira de jatobá é densa (0,90 a 1,10 g.cm³), a 15% de umidade. Possui alburno espesso, branco ligeiramente amarelado. Cerne variável quanto à cor, do castanho-claro-rosado ao castanho-avermelhado, com tonalidades mais ou menos intensas. A superfície é pouco lustrosa e ligeiramente áspera; textura média e uniforme; grã de regular a irregular , normalmente reversa. Cheiro imperceptível.

Mogno Africano

O Mogno suporta bem as condições normais de estiagem (cerca de quatro a seis meses), período no qual a planta paralisa seu crescimento.

Mogno brasileiro

O mogno é uma árvore da região amazônica bastante explorada e conhecida pela qualidade da madeira. Trazida para o Sudeste, se adaptou muito bem, sendo muito utilizada para arborização urbana. É uma espécie de crescimento rápido e tronco reto. Só frutificam os exemplares mais velhos, porém nestes casos, produzem muitas sementes de germinação fácil.

Moderadamente pesada (densidade 0,63 g/cm3), dura, de resistência moderada ao apodrecimento e alta ao ataque de cupins de madeira seca e, pouco durável quando em contato com solo e umidade.

Paricá

A madeira é mole, leve, com textura grossa, grã direita a irregular, cerne creme-avermelhado e alburno creme claro. Apresenta processamento fácil e recebe bom acabamento, mas possui baixa durabilidade natural, sendo suscetível ao ataque de fungos, cupins e insetos xilófagos.

Pinheiro

Pinus taeda é uma espécie de pinheiro originária do Novo Mundo. Faz parte do grupo de espécies de pinheiros com área de distribuição no Canadá e Estados Unidos da América (com excepção das àreas adjacentes à fronteira com o México).